Lições

Apesar de não ensinar, nem nunca ter oferecido aulas de cutelaria, sempre recebemos insistentes pedidos de pessoas interessadas em aprender como se faz uma faca artesanal. Reiteramos a nossa posição de treinar apenas nosso corpo de artesões. Mas em respeito e para retribuir o apreço nesta seção colocamos algumas considerações e orientações práticas. Esperamos assim contribuir com profissionais e iniciantes do ramo.

[toggle_content title=”Aço”]É uma liga de ferro, carbono e vários outros elementos químicos; produto da fusão do ferro gusa, com adição de outros metais ou elementos químicos misturados. A proporção em que o ferro, o carbono e os outros elementos químicos entram na sua composição resultam nas características de cada tipo de aço. Muitos acreditam que para produzir aço é necessário partir do minério de ferro, e por isto só pode ser feito em grandes usinas siderúrgicas.Na verdade pequenas e grandes fundições preparam aços especiais a partir de sucata. [/toggle_content][toggle_content title=”Aço Inox”]É um tipo de aço que contem no mínimo 11% de Cromo em sua composição, são importantes por apresentarem resistência à corrosão e propriedades mecânicas superiores aos aços comuns em temperaturas elevadas.Entretanto nenhum material é completamente inoxidável.A resistência à corrosão esta associada ao fenômeno de passivação, que é a formação de uma camada extremamente fina, invisível a olho nu, continua, resistente e impermeável, formada sobre a superfície do aço devido à combinação do oxigênio do ar com o cromo.Outros elementos como o níquel, o vanádio ou o molibdênio, por exemplo, podem ser empregados em conjunto com o cromo para aumentar sua eficiência.[/toggle_content][toggle_content title=”Aço forjado”]Qualquer aço pode ser forjado. Se for aço vagabundo, continuará vagabundo. [/toggle_content][toggle_content title=”Aço puro”]Não existe. Aço é uma mistura de ferro mais outros metais ou metalóides em variadas proporções, dependendo da finalidade a que se destina.[/toggle_content][toggle_content title=”Aços alemães, suecos, brasileiros, etc: “]Não existem. Aços não são classificados por nacionalidade. Em país nenhum do mundo, conseguiram fazer um aço tão bom que seja ótimo tanto para, molas, talhadeiras, facas e limas.Para cada finalidade existe um tipo de aço especifico. Quem já fez uma talhadeira de uma ótima lima, deve saber disso.Se o aço seja da nacionalidade que for, for muito duro, ótimo para lima, não poderá servir para mola, faca ou talhadeira, pois quebrara a toa.Também o inverso é verdade; nenhuma ótima mola pode servir para lima.[/toggle_content][toggle_content title=”Aço Solingen: “]Não existe. Solingen é o nome de uma cidade na Alemanha, famosa pelas cutelarias. Nunca nenhum fabricante da cidade de Solingen declarou que o aço empregado é Solingen.[/toggle_content][toggle_content title=”Tratamento térmico: “]É um conjunto de operações de aquecimento e resfriamento controlado dos metais em estado sólido, englobam uma das mais amplas faixas de temperatura dentre os processos industriais, variando desde o tratamento subzero (temperaturas abaixo de zero grau C) para estabilização dimensional ou dissolução da austenita retida até a austenitização de aços rápidos, a 1280 graus C. Além disso, diversas taxas de resfriamento são empregadas, visando permitir a obtenção da exata estrutura desejada. São diversas as estruturas possíveis de serem obtidas a partir da decomposição da austenita.Assim as estruturas ferríticas são, em principio, as de menor resistência e dureza, porém com ductilidade máxima, enquanto que as estruturas martensiticas são as que permitem obter os mais altos valores de dureza com correspondente sacrifício da ductilidade e resistência ao impacto. O fundador da teoria dos tratamentos térmicos foi o cientista Russo Chernov, que descobriu os pontos críticos de transformação dos aços.[/toggle_content][toggle_content title=”Recozimento: “]O recozimento visa reduzir a dureza do aço, aumentar a usinabilidade, facilitar o trabalho a frio aumentar a temperabilidade do aço ou se obter microestruturas ou propriedades desejadas. Há basicamente três tipos principais de recozimento: Recozimento Pleno / Recozimento Subcrítico / Esferoidizaçao.[/toggle_content][toggle_content title=”Forjar: “]É um processo que consiste em alterar a forma do metal quente através de golpes de um martelo ou por pressão de uma prensa, no decorrer do forjado o metal se torna mais denso e se elevam propriedades mecânicas.[/toggle_content][toggle_content title=”Têmpera: “]Consiste em resfriar o aço, após a austenitização, é a característica mais importante dos aços como materiais de construção mecânica e de corte, a possibilidade de desenvolver combinações ótimas de resistência e tenacidade (medida pela resistência ao impacto). A estrutura que classicamente, permite tais combinações é a martensitica revenida.[/toggle_content][toggle_content title=”Meios de tempera: “]Para o controle da taxa de resfriamento de modo a temperar o aço utilizam-se diferentes meios de tempera, com diferentes capacidades de extração de calor. Os mais comuns são: água, óleo e ar, embora se possam usar outros meios líquidos ou gasosos.[/toggle_content][toggle_content title=”Revenido: “]O revenido é a operação final do tratamento térmico, com o objetivo de eliminar parcial ou completamente as tensões internas, reduzir a dureza e aumentar a resiliência. Existem diversas formas e maneiras para revenir exemplos: pelo calor interno, calor externo, banho de areia, óleo, chumbo, alumínio etc. o modo como o material é revenido define as características normalmente finais do aço. [/toggle_content]

 

 

2 comentários em “Lições”

  1. mauricio knapik

    Boa tarde, gostei muito das suas dicas, sou um pouco leigo no assunto de cutelaria e cuidados com laminas, suas dicas são muito importantes para se manter em bom estado de conservação as laminas, obrigado pelas dicas.

Comentários encerrados.

Carrinho de compras
Rolar para cima